Policiais do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) prenderam o principal agenciador de negócios de uma facção criminosa.

A ação teve início na segunda-feira (02) e terminou hoje (04).

PUBLICIDADE

O principal alvo era o empresário português Mauro Cláudio Monteiro Loureiro, o Murruga, detido em Paulínia, região de Campinas. Foram apreendidos veículos de luxo, cocaína, armas e nove aeronaves. Os aviões faziam parte de uma frota utilizada para transporte de drogas, armas e dinheiro.

As apurações são dos policiais da 2ª Delegacia Patrimônio (Investigações sobre Crimes de Intervenção Estratégica). As informações sobre as atividades de Loureiro surgiram durante a prisão de outro importante integrante do crime organizado: Décio Gouveia Luis, o Décio Português, detido em agosto deste ano e responsável pela movimentação de dinheiro e drogas de uma facção.

As investigações revelaram que outro português também estava envolvido no esquema. A princípio Loureiro aparecia como doleiro. O aprofundamento nas atividades do lusitano revelou uma relação muito mais participativa nas atividades criminosas. O empresário, devido ao conhecimento adquirido na compra e venda de dinheiro, passou a funcionar como um agenciador de prestação de serviços. Ele conhecia as atividades comerciais dos criminosos.

Loureiro passou a resolver, principalmente, problemas de logísticas e lavagem de dinheiro. Ele agenciava aviões para transporte de drogas das principais regiões produtores. Também carregava armas para abastecer os criminosos e dinheiro de outros países para o Brasil. Para isso utilizava aeroportos em cidades próximas à capital paulista.

A grande ofensiva teve início na segunda-feira por meio de cumprimento de mandados de busca e apreensão. Loureiro foi preso em um condomínio fechado no Jardim Fortaleza, em Paulínia. A equipe da 2ª Delegacia encontrou com o português um tijolo de cocaína. A peça funcionava como um mostruário aos interessados em comprar o entorpecente. Também apreenderam os veículos importados: um Mini Cooper S, dois BMW X6, uma picape Volkswagen Amarok, Cam AM Maverick e uma motocicleta Harley Davidson. E os nacionais: um Honda HR-V e um Volkswagen Voyage.

As equipes da 2ª Patrimônio estiveram na seqüência das ações no aeroporto de Bragança Paulista. No local foram apreendidas nove aeronaves em um mesmo hangar. Também três pistolas, um revólver e uma espingarda calibre 12.

A última etapa aconteceu hoje em um escritório no Tatuapé, na Zona Leste. Os policiais apreenderam computadores utilizados em negócios. Principalmente transferência de valores tendo como moeda o bitcoin, tipo de dinheiro virtual. Loureiro responde por associação ao tráfico, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Por: Vanusa Torchi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *