Homem é preso suspeito de matar mãe a facadas em Taubaté, SP

Crime ocorreu no dia 31 de outubro, no bairro Continental. À época ele disse que encontrou o corpo ao fazer uma visita, mas segundo a Polícia Civil, confessou a autoria nesta quinta-feira (19).

Por G1 Vale do Paraíba e Região

19/12/2019

Caso foi investigado pela DIG de Taubaté  — Foto: Reprodução/ TV Vanguarda

Caso foi investigado pela DIG de Taubaté — Foto: Reprodução/ TV Vanguarda

Um homem foi preso na tarde desta quinta-feira (19) suspeito de ter matado a mãe a facadas em Taubaté (SP). O crime ocorreu no dia 31 de outubro, no bairro Continental 1.

À época, em depoimento ele disse à polícia que encontrou a mãe morta dentro de casa. Ele disse que tinha ido morar sozinho há dois meses e que tinha ido fazer uma visita para ela, mas, segundo a Polícia Civil, confessou o crime.

A perícia esteve no local e constatou que ela morreu em decorrência de várias perfurações no pescoço. Nada foi levado da residência. O caso foi registrado como homicídio e era investigado pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

Investigação

Durante a investigação, a polícia encontrou indícios que ligaram o filho à autoria do crime. Um deles é um vídeo, de câmeras internas de um comércio, gravadas após a morte da vítima, que mostram o suspeito em estado de nervosismo e preocupação com uma lesão no braço. As imagens não foram divulgadas.

Segundo a polícia, a lesão foi provocada no momento do crime, provavelmente pelas unhas da vítima. Para chegar até ele, a investigação ouviu cerca de dez pessoas e analisou também ligações telefônicas.

Nesta quinta ele teve a prisão temporária decretada e foi preso. O local onde a prisão ocorreu não foi divulgado. Segundo a Polícia Civil, na delegacia, ele alegou que agiu em legítima defesa.

O suspeito disse aos policiais que havia sido agredido pela mãe, que estava com uma faca na mão. Para se proteger, de acordo com a versão dele, ele contou que deu um empurrão nela, mas que ela caiu e, na queda, a faca a atingiu. Ele foi levado para o Cadeião da JK.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *