“Façam alguma coisa, temos famílias”, imploram trabalhadores humanitários cristãos sequestrados por muçulmanos na Nigéria

Por: Thaís Garcia

NIGÉRIA

"Façam alguma coisa, temos famílias", imploram trabalhadores humanitários cristãos sequestrados por muçulmanos na Nigéria 21

Os seis trabalhadores humanitários cristãos que foram seqüestrados no nordeste da Nigéria. Imagem: amkareto/Twitter

  • PUBLICIDADE

Na Nigéria, terroristas islâmicos postaram um vídeo no qual 6 trabalhadores humanitários cristãos imploram por suas vidas. Eles foram sequestrados em uma operação, enquanto estavam ativos no país pela organização Action Against Hunger (Ação contra a Fome), relatou o ChristianPost.

O vídeo mostra uma mulher que se chama Grace. Ela está sentada ao lado de 5 homens, e os descreve como outros cinco colegas da organização de ajuda humanitária Action Against Hunger.

“Peço à Nigéria e à nossa organização que façam alguma coisa e cuidem para que nos liberem. Somos todos trabalhadores humanitários. Temos famílias, alguns de nós também têm filhos. Façam algo para nos libertar. Eu imploro em nome de todos nós aqui, a Nigéria não pode permitir isso”, disse Grace no vídeo.

Abubakar Mohd Kareto@amkareto

😔
😔
😔
🙏🏾
🙏🏾
😔
😔
😔
📹

This is heartbreaking indeed

They were kidnapped by Boko Haram 5 days ago around Damasak in Borno State. They work for an NGO called “Action Against Hunger”

@AsoRock @MBuhari @ProfOsinbajo @ACF_Nigeria please rescue them alive

: TheCable6720:12 – 24 de jul de 2019Informações e privacidade no Twitter Ads106 pessoas estão falando sobre isso

A organização humanitária, Action Against Hunger, confirmou que as pessoas sequestradas fazem parte de um programa local da fundação.

“Exigimos a libertação deste membro da equipe e de seus colegas. Eles são trabalhadores humanitários que dedicam suas vidas a ajudar as comunidades mais vulneráveis da Nigéria e são motivados pela solidariedade, humanidade e neutralidade”, afirmou a Action Against Hunger em um comunicado.

Nigéria
A Nigéria é um país onde vivem 80 milhões de cristãos, que nas últimas décadas têm sido regularmente confrontados com o terror da organização terrorista islâmica “Boko Haram” e dos nômades muçulmanos Fulanis.

Entre 2006 e 2016, cerca de 15.500 cristãos foram mortos por ataques terroristas destes grupos; e cerca de 13.000 igrejas foram destruídas no país.

Só em 2015, mais de 4.000 pessoas foram mortas. A maioria das mortes é resultado de assassinatos cometidos pelo grupo terrorista Boko Haram, que é principalmente ativo nos estados do norte do país africano.

E em 2018, mais de 1.700 cristãos foram mortos por terroristas muçulmanos Fulanis no país.

Em um artigo ( “Nigéria – O Choro no escuro” ), publicado pelo Conexão Política em março deste ano, é possível ler inúmeras atrocidades que os cristãos nigerianos vêm sofrendo ao longo dos anos, nas mãos de terroristas muçulmanos.

Dentre os ataques mais severos, o sequestro das meninas do Chibok é o principal, mobilizando o governo nigeriano e repercutindo na mídia internacional.

Em 14 de abril de 2014, o Boko Haram, principal grupo extremista islâmico da Nigéria, invadiu o vilarejo de Chibok e sequestrou 276 meninas. Tudo ocorreu na Escola Secundária de Chibok. A maioria das meninas era cristã. Cerca de 219 jovens foram, então, levadas em caminhões, enquanto a escola era incendiada.

Exatamente 57 delas conseguiram escapar logo após o sequestro. Ao longo do tempo em cativeiro, outras também fugiram, até que em outubro de 2016 e maio de 2017, o Boko Haram libertou algumas. No entanto, o presidente da Associação de Pais do Chibok, Yakubu Nkeki Maina, afirma que ainda há 112 meninas cristãs cativas e ninguém sabe quantas delas permanecem vivas.

Após 5 anos, estas meninas ainda têm pais, amigos e vizinhos que se importam e que as aguardam com esperança.

A comunidade internacional precisa voltar os olhos para este país e frear a violência contra os cristãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *