Dois homens são mortos a tiros em Caraguatatuba

Polícia informou que um homem foi alvejado e deixado em frente a UPA no bairro Massaguaçu. Em segundo caso, homem foi alvejado com pelo menos nove disparos. De acordo com a polícia, casos aconteceram com intervalo de uma hora, mas apesar disso não há indícios de relação entre eles.

Por G1 Vale do Paraíba e Região

21/11/2020

Casos estão sendo investigados pela delegacia de Caraguatatuba — Foto: TV Vanguarda/ Wanderson Borges
Casos estão sendo investigados pela delegacia de Caraguatatuba — Foto: TV Vanguarda/ Wanderson Borges

Duas pessoas foram mortas a tiros em Caraguatatuba na madrugada deste sábado (21). De acordo com a Polícia Civil, os crimes aconteceram com menos de uma hora de intervalo. Até a públicação, ninguém havia sido preso.

O primeiro crime aconteceu às 3h40, quando um homem de 34 anos baleado foi deixado na calçada da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Massaguaçu. De acordo com a polícia, ele foi baleado por pelo menos três disparos e socorrido por dois homens que o deixaram no local. Os médicos chegaram a prestar socorro a vítima, mas ele não resistiu aos ferimentos.

O segundo caso aconteceu às 4h12 no bairro Porto Novo. Um homem ainda não identificado foi alvejado com pelo menos nove disparos. A polícia foi acionada por vizinhos que ouviram os tiros. Ao chegarem no local, os policiais encontraram o homem já morto, ao lado de uma bicicleta.

De acordo com a Polícia Civil, quando os policiais militares iam para a ocorrência, eles abordaram um carro prata que passava em alta velocidade em uma avenida de acesso ao bairro Porto Novo. Durante a abordagem, não encontraram nada com a dupla, que foi liberada.

Ao chegarem ao local do crime, testemunhas contaram terem visto um veículo saindo em alta velocidade após os tiros. A descrição do carro era compatível com a do veículo abordado pela PM minutos antes.

A dupla abordada foi identificada pela polícia que investiga o envolvimento no caso. Até a publicação, ninguém havia sido preso.

A Polícia Civil informou que, apesar do breve intervalo entre os dois casos, inicialmente, não há indícios de que sejam relacionados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *