Abusar de sal de cozinha pode comprometer a memória; entenda por quê

Foto: Ilustração

Já é do conhecimento de todos nós a relação entre hipertensão arterial e consumo excessivo de sal.

PUBLICIDADE

O limite de consumo diário de sódio é de 2 gramas/dia, o que corresponde a 5 gramas de sal de cozinha.

No Brasil, o consumo de sal vai muito além do que é preconizado pela Organização Mundial de Saúde, em alguma regiões chegando ao consumo de 12 gramas/sal por dia.

Um estudo publicado recentemente pela revista Nature mostrou que uma dieta rica em sal pode afetar negativamente a função cognitiva (memória). O mecanismo que faz isso acontecer se dá porque aponta-se o sal como causador da deficiência de uma substância de vital importância para o cérebro chamada óxido nítrico, um potente dilatador dos vasos cerebrais.

O estudo mostrou que quando ocorre a queda do óxido nítrico, ocorrem alterações químicas em uma proteína específica do cérebro, contribuindo assim para a demência.

Um estudo anterior, com ratos, já haviam mostrado a capacidade do sal em produzir demência. Quando ocorreu o abuso de sal, o organismo dos ratos produziu uma substância chamada interleucina, que promove um estado inflamatório. O contato da interleucina com os vasos sanguíneos cerebrais gerou redução na formação do óxido nítrico, substância vasodilatadora, importante no relaxamento e alargamento dos vasos sanguíneos do cérebro, permitindo que o sangue flua. Com a falta do óxido nítrico, ocorreu a queda no fluxo de sangue para o cérebro.

Com base nessa descoberta, levantou-se a hipótese de que o sal provavelmente ocasionou a demência nos ratos, devido à redução do fluxo de sangue nos vasos cerebrais. Posteriormente, em nova fase do estudo ficou demonstrado que a baixa do óxido nítrico afetou a estabilidade de uma proteína no cérebro e que o seu acúmulo teria causado os problemas cognitivos.

Os autores do estudo acreditam que evitar ingestão excessiva de sal e manter correta a saúde vascular pode ajudar a evitar patologias vasculares e neurodegenerativas que levam à demência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *