‘A água veio e levou os três juntos’, diz namorado de vítima de cabeça d’água em cachoeira de MG

Jovem de 17 anos, pai e mãe morreram em passeio no Parque Ecológico do Paredão, tradicional destino turístico de Guapé.

Por Fernanda Rodrigues — Guapé, MG

02/01/2020

Três pessoas morrem em cachoeira no paredão de Guapé

Três pessoas morrem em cachoeira no paredão de Guapé

O namorado de uma jovem de 17 anos, uma das três vítimas da cabeça d’água que atingiu um complexo de cachoeiras em Guapé, no Sul de Minas Gerais, estava junto com a família dela na cachoeira quando o acidente aconteceu. “A água veio e levou os três juntos”, contou o jovem Diego Silvério. Os bombeiros não descartam a possibilidade de que mais pessoas estejam desaparecidas.

Os corpos da namorada, Dafne Carvalho de Magalhães Couto, de 17 anos, e dos pais da jovem, Émerson Magalhães Couto, de 45 anos, e Áurea Carvalho Magalhães, de 39, foram encontrados entre a tarde e a noite de quarta-feira (1º).

O jovem estava com as três vítimas em uma das cachoeiras que fazem parte do Parque Ecológico do Paredão quando uma mulher, que não era da família, gritou e avisou os visitantes sobre o aumento do volume de água. (Veja o vídeo ao final da reportagem).

“Eu estava na terceira cachoeira. A moça saiu gritando que estava vindo água. Nós fomos descer, fui pegar meu celular. Eles [a família] foram descendo no lado, para a trilha que vai para o bar. A água veio, ele [Emerson] escorregou, a mulher dele foi tentar pegar, minha namorada estava junto. Ela escorregou, a água veio e levou os três juntos”.

Vítimas tiraram fotos pouco antes de serem atingidas pela água — Foto: Arquivo pessoal

Vítimas tiraram fotos pouco antes de serem atingidas pela água — Foto: Arquivo pessoal

Diego acredita que havia mais de 30 pessoas no local quando a cabeça d’água atingiu a cachoeira. Os bombeiros não têm um número oficial.

Para escapar da água, segundo o jovem, os banhistas precisaram subir em pedras. “Conseguiram ficar do lado lá. E depois a água baixou e nós conseguimos passar por umas pedras lá no alto, por umas cordas, conseguimos atravessar e descemos. Ficamos [ilhados] lá em cima. Pra baixo nós não conseguimos descer por causa da água”.

Diego não ficou ferido. O Parque Ecológico do Paredão foi fechado para visitantes nesta quinta-feira (2).

A família era de Campos Gerais, também no Sul de Minas. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Alfenas (MG) e seguiram para a cidade natal.

Buscas

O Corpo de Bombeiros trabalhou nas buscas e conseguiu tirar, ainda na quarta-feira, os corpos das três vítimas, que estavam em um local de difícil acesso. Eles foram localizados pelo helicóptero da corporação.

A informação é de que não serão feitas buscas nesta quinta-feira. A intenção é aguardar familiares que registrem possíveis desaparecimentos. Isso porque os bombeiros ainda não descartam que mais pessoas tenham sido levadas pela água.

Visitantes registraram cabeça d'água em cachoeira de Guapé (MG) — Foto: Reprodução/EPTV

Visitantes registraram cabeça d’água em cachoeira de Guapé (MG) — Foto: Reprodução/EPTV

Cabeça d’água em Guapé

O fenômeno, que acontece quando há um aumento rápido e repentino do nível de um rio, lago ou cachoeira devido a chuvas em trechos anteriores ou mais altos do percurso, foi no início da tarde de quarta-feira em Guapé.

A cabeça d’água é diferente de uma tromba d’água, que se assemelha a um tornado, mas tem menor intensidade e ocorre sobre superfícies líquidas, como mar ou rio.

Na ocorrência em Guapé, além do Corpo de Bombeiros, equipes do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e da Polícia Militar participaram do resgate.

Banhistas que estavam no local registraram o momento em que a enxurrada atinge o complexo.Veja o vídeo:

Vídeo mostra cabeça d'água que atingiu cachoeira em Guapé

Vídeo mostra cabeça d’água que atingiu cachoeira em Guapé

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *