Home / Noticias / Temer desiste de novo projeto sobre greve para apoiar proposta tucana

Temer desiste de novo projeto sobre greve para apoiar proposta tucana

Apesar da declaração pública feita na manhã desta segunda-feira, 13, de que enviaria um Projeto de Lei para regulamentar o direito a greve do servidor público, o presidente Michel Temer mudou de ideia e decidiu prestigiar um projeto sobre o tema do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP). O senador foi avisado pelo Planalto de que o PL 710/2011 será a base que o governo federal vai trabalhar para tratar do assunto.

A razão da mudança, de acordo com assessores do governo, é acelerar a entrada em vigor da regulamentação já que o PL do tucano já está em tramitação. A ideia é articular com a base no Congresso a aprovação da medida.

“Os senhores sabem que, pela Constituição, certos serviços essenciais não podem ficar paralisados. E até hoje, embora haja muitos projetos correndo pelo Congresso Nacional, nós vamos adicionar mais um projeto para que possa ser examinado pelo Congresso Nacional”, disse o presidente pela manhã, em declaração à imprensa.

O projeto do tucano deverá ser reapresentado nesta terça-feira, 14, na reunião de líderes de bancada. “O presidente Michel Temer me ligou hoje e disse que gostaria de prestigiar a proposta”, disse Aloysio Nunes à reportagem. “Também devem ser encaminhadas sugestões ao projeto por parte da Secretaria do Governo. Elas serão discutidas”, emendou.

Apresentado pelo tucano em 2011, o projeto tramita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado desde julho do ano passado. Atualmente aguarda a apresentação de parecer do relator, Paulo Paim (PT-RS), que já deu indicações de ser contrário às medidas.

Apesar disso, a expectativa de integrantes da base aliada é de que, após a mudança no comando e na composição da CCJ, o relatório passe para as mãos do líder do governo no Congresso, senador Romero Jucá (PMDB-RR). Durante a tramitação da proposta na Casa, o peemedebista já havia sido relator de uma minuta que teve como base o projeto de Aloysio Nunes. Após passar pela comissão, o projeto deve seguir para discussão e votação em plenário.

O projeto original de Nunes considera exercício do direito de greve a paralisação coletiva, total ou parcial, da prestação de serviço público ou de atividade estatal dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. O texto exige a manutenção em atividade de 50% a 80% do total de servidores, de acordo com o tipo da atividade exercida.

Você pode Gostar de:

Aluno atira em escola de Goiânia, mata dois estudantes e deixa feridos

Suspeito pelos disparos é um adolescente de 14 anos, que cursa o 8º ano. Ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display