Home / Noticias / Internacional / Segurança em Jerusalém está reforçada; Esplanada das Mesquitas segue fechada

Segurança em Jerusalém está reforçada; Esplanada das Mesquitas segue fechada

Área foi isolada após ataque que terminou com dois policiais israelenses e três palestinos mortos.

 

Por France Presse

Policial faz segurança perto da Porta de Damasco, que dá acesso da Cidade Velha de Jerusalém (Foto: Ahmad Gharabli / AFP)

Policial faz segurança perto da Porta de Damasco, que dá acesso da Cidade Velha de Jerusalém (Foto: Ahmad Gharabli / AFP)

As forças de segurança fecharam partes da cidade antiga de Jerusalém neste sábado (15), um dia depois do ataque que matou dois policiais e avivou as tensões entre israelenses e palestinos.

Em função do ataque, as autoridades israelenses tomaram a decisão excepcional de fechar a Mesquita de Al Aqsa, situada na esplanada perto de onde palestinos atacaram policiais israelenses. A medida provocou irritação junto a muçulmanos e jordanianos, que são responsáveis pela segurança no local.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, indicou que a esplanada, também conhecida como Monte do Templo para os israelenses, permanecerá fechada até ao menos domingo (16) por motivos de segurança.

Segundo a imprensa israelense, foi a primeira vez desde 2000, quando teve início a Segunda Intifada, que as orações de sexta-feira (13) foram canceladas.

As autoridades instalaram neste sábado barreiras para impedir que os carros e os pedestres se aproximem da Porta de Damasco, a principal via de acesso dos palestinos à cidade velha. Só os residentes da zona com documentos de identidade podem ingressar.

Polícia israelense examina a cena de suposto ataque terrorista, na Cidade Velha de Jerusalém (Foto: Ammar Awad/Reuters)

Polícia israelense examina a cena de suposto ataque terrorista, na Cidade Velha de Jerusalém (Foto: Ammar Awad/Reuters)

Ataque

Na véspera, três homens abriram fogo na Cidade Velha de Jerusalém, matando dois policiais israelenses, e depois foram abatidos por agentes na Esplanada das Mesquitas, no incidente mais grave registrado nos últimos anos nessa área extremamente sensível.

Dois policiais feridos no incidente morreram pouco depois do ataque, enquanto um terceiro agente se recuperava de ferimentos leves, segundo a polícia.

Os dois agentes mortos, Hail Satawi, de 30 anos, e Kamil Shanan, de 22, faziam parte da minoria árabe drusa de Israel, muito presente na Polícia e no Exército israelenses.

De acordo com a Polícia e com o Shin Bet, o serviço de Inteligência interna de Israel, os três agressores eram árabe-israelenses, oriundos da cidade de Um el-Fahm (norte).

Poucas horas após o ataque, a polícia israelense deteve brevemente o mufti de Jerusalém, Mohammed Hussein, que estava reunido com outros palestinos na Cidade Velha para denunciar o fechamento da Esplanada das Mesquitas.

Além disso, um palestino foi morto em confrontos com as forças israelenses em um campo de refugiados perto da cidade de Belém, na Cisjordânia ocupada, segundo o Ministério palestino da Saúde, que identificou a vítima como Bara Hamamdah, de 18 anos.

Este foi o primeiro ataque com arma de fogo em muitos anos na parte antiga da cidade, segundo comentaristas. Os últimos 20 meses têm sido marcados, porém, por uma série de ataques com facas.

Al-Aqsa está localizada na Esplanada das Mesquitas e é o terceiro lugar mais sagrado do Islã. Logo abaixo, o Muro das Lamentações, conhecido como Monte do Templo pelos judeus, é o local mais sagrado do Judaísmo.

Desde outubro de 2015, Israel e os Territórios Palestinos vivem uma onda de violência, que já matou 280 palestinos, 42 israelenses, dois americanos, dois jordanianos, um eritreu, um sudanês e uma britânica, segundo uma contagem da AFP.

Você pode Gostar de:

PM´s de SjC Detém Indivíduo Após Roubar Drogaria na Bacabal.

  A Quantia de R$ 98,00 reais e um simulacro de pistola e uma faca. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display