[wp_bannerize group="Banner Topo" random="1" limit="1"]
Home / Brasil / Menor suspeito de planejar massacre em escola de Suzano participa de audiência

Menor suspeito de planejar massacre em escola de Suzano participa de audiência

Defesa do jovem alega que ele apenas ‘fantasiou’ o crime e que não teve participação. Justiça determinou apreensão provisória de 45 dias; adolescente foi apreendido no dia 19 de março.

Por G1 Mogi das Cruzes e Suzano

26/03/2019


Menor suspeito de planejar massacre chega para audiência no Fórum de Suzano — Foto: Natan Lira/G1

O jovem de 17 anos suspeito de ajudar a planejar o massacre na Escola Raul Brasil, em Suzano, participa de uma audiência no fórum da cidade na manhã desta terça-feira (26). O menor entrou pela porta dos fundos do Fórum. O caso está em segredo de Justiça.

Além do menor, na audiência serão ouvidas testemunhas de defesa e de acusação. O adolescente foi apreendido no dia 19 de março e é acusado pelo Ministério Público (MP) e pela Polícia Civil de participar do planejamento da chacina.

Para a investigação, ele foi mentor intelectual do crime. No entanto, a defesa do jovem disse que ele apenas fantasiou o crime, mas não ajudou os assassinos a executá-lo.

Dez pessoas, incluindo dois criminosos, morreram no ataque ocorrido em 13 de março. Outras 11 ficaram feridas. Um rapaz segue internado no Hospital das Clínicas, em São Paulo. A situação de Anderson Carrilho de Brito, 15 anos, é estável, segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

Dois assassinos invadiram a escola na manhã de 13 de março. Depois de encurralados pela polícia, o mais jovem, de 17 anos, matou o mais velho, de 25 anos, e se matou. Os dois assassinos e o adolescente apreendido haviam estudado na Raul Brasil.

esta segunda-feira (25), Marcelo Feller, advogado do Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD), que defende os interesses do adolescente apreendido, confirmou que em 2015 seu cliente conversou com o assassino mais novo sobre atacar a escola, mas que, à época, isso era uma “fantasia” e não um plano.

Homenagens na Escola Raul Brasil, palco de massacre em Suzano no dia 13 de março — Foto: Maiara Barbosa/G1

Evidências

Durante a investigação foram analisados os celulares dele e dos dois assassinos e, de acordo com a polícia, os três aparelhos têm conversas claras sobre o planejamento das mortes.

Entre as evidências estão depoimentos, como o de uma professora que afirma que, no início do mês, durante uma dinâmica de grupo sobre expectativa de futuro, o adolescente “de forma fria, sem expressar qualquer sentimento, respondeu que seu maior sonho era entrar em uma escola, armado, e atirar em várias pessoas aleatoriamente”.

Em outro depoimento, um amigo dele disse que o menor havia dito que tinha planejado o crime com um dos assassinos, mas que não sabia quando seria executado.

Além disso, uma testemunha afirmou ter visto o menor com a dupla que executou o crime numa locadora de veículos no dia em que eles alugaram o carro usado no crime. Outra evidência foi a apreensão na casa dele de “uma bota estilo coturno, em estado de conservação novo, muito similar às utilizadas pelos autores do crime”.

Com base nessas novas evidências e num parecer do promotor Rafael do Val, a juíza Erica Marcelina Cruz, da 1ª Vara de Suzano, determinou a apreensão provisória do adolescente, por 45 dias, na Fundação Casa.

Adolescente foi apreendido no dia 19 de março — Foto: Kleber Tomaz/G1

Você pode Gostar de:

Força Tática Detém Indivíduo Por Tráfico no Meia Lua Após Perseguição.

O indivíduo empreendeu fuga por várias ruas do bairro e acabou detido na rua Takeo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

[wp_bannerize group="Banner Rodapé" random="1" limit="1"]