Home / Brasil / Indignação e tristeza marcam velório do capitão Oliveira

Indignação e tristeza marcam velório do capitão Oliveira

O corpo do capitão da Polícia Militar de Sergipe, Manoel Oliveira, 42, comandante da Companhia Especializada em Operações Policiais em Área de Caatinga (Ceopac), está sendo velado no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cefap) no bairro América, zona oeste de Aracaju.

 

Às 16h30, o corpo do oficial segue, em carro aberto do Corpo de Bombeiro Militar de Sergipe, para o Velatório Piaf, localizado na equina das Ruas Laranjeiras com Porto da Folha, no Bairro Getúlio Vargas, em Aracaju, onde permanece até a manhã da sexta-feira, 6, recebendo honras militares. Às 5h da sexta, o cortejo fúnebre segue para o município de Porto da Folha, distante 190 quilômetros da capital, com chegada prevista para 8h, onde acontece missa de corpo presente na Igreja Matriz de Porto da Folha. O enterro está previsto para às 10h.

O caixão com o corpo do capitão chegou ao Cefap por volta das 13h. No velório, o clima era de indignação e muita tristeza com a morte do comandante. Colegas de farda e a família, muito emocionados, evitaram falar com a imprensa.

O capitão Oliveira foi executado a tiros por volta das 21h dessa quarta-feira, 04. O fato foi registrado no trevo de acesso à cidade de Monte Alegre. O local da ocorrência já é próximo do povoado Vaca Serrada, em Porto da Folha, onde fica a sede da unidade da Polícia Militar.

O capitão Oliveira deixa viúva e três filhos (6, 19 e 23 anos de idade).

Vida militar –   Manoel Oliveira entrou na Corporação em 1994, ainda na condição de soldado, sendo aprovado em 1997 no Concurso de Sargentos e em 2003 no Curso de Formação de Oficiais, feito na Academia de Polícia Militar Senador Arnon de Mello (APMSAM), na capital alagoana. Voltando ao Estado na turma de oficiais CFO/PMSE 2005, iniciou a atividade, enquanto oficial, em estágios nas diversas unidades operacionais da PMSE.

Já como tenente, trabalhou no 2º Batalhão de Polícia Militar (2º BPM), em Propriá, no 4º Batalhão, em Canindé do São Francisco, até fundar o então Pelotão Especial de Policiamento em Área de Caatinga (Pepac) em 16 de maio de 2008, onde permaneceu até a data da sua morte, ocorrida na noite da quarta-feira, 5, após emboscada numa rodovia situada entre os municípios de Monte Alegre de Sergipe e Porto da Folha.

O oficial era Técnico Agrícola, formado na Escola Agrotécnica de São Cristóvão, em 1993; Bacharel em Segurança Pública pela Academia de Polícia Militar Senador Arnon de Mello (APMSAM); graduado em Direito pela Faculdade Pio Décimo; participou de Cursos SWAT e de Operações em Altura e Rapel Tático, além de estágio na Companhia de Polícia de Ações em Caatinga da Polícia Militar da Bahia (Cpac). O capitão foi da primeira turma do Curso de Operações Policiais em Área de Caatinga da PMSE (Copac), vindo a ser coordenador e instrutor a partir da segunda turma.

Recebeu o Título de Cidadão Gloriense e na Corporação, recebeu as Medalhas de Tempo de Serviço 10 e 20 Anos e foi condecorado com a Medalha do Mérito Policial, homenagem oferecida aos civis e militares que se destacam nos serviços prestados à Polícia Militar.

 

ARACAJU-SE

 

Por: Leo Nascimento

Compartilhar:

Você pode Gostar de:

Bandidos fortemente armados roubam três ônibus de turismo na BR-116

Fonte: João Carlos Frigério -MassaNews Bandidos fortemente armados de fuzil roubaram três ônibus de turismo na …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display