Home / Noticias / Foragidos / Foragido por homicídio há mais de sete anos é preso pela PRF ao se apresentar para ajudar homem com carteira suspensa.

Foragido por homicídio há mais de sete anos é preso pela PRF ao se apresentar para ajudar homem com carteira suspensa.

Contra este último um mandado de prisão em aberto pelo crime de homicídio qualificado.

 

Na noite deste dia 09/09/2018, durante a Operação Independência da PRF, por volta das 18h, no km 204 da Via Dutra sentido SP, na Praça de Pedágio de Arujá/SP, um veículo CELTA conduzido por um homem de 30 anos foi abordado ao passar pela cabine de cobrança.

Convidado a realizar exame de etilômetro o homem recusou-se e tendo sido realizada a consulta de seus dados pasta autuação, constatou-se que o mesmo conduzia com sua carteira de habilitação suspensa. Por este motivo foi lavrado o respectivo Termo Circunstanciado de Ocorrência, pelo crime de dirigir com a habilitação suspensa.

Para que pudesse ir embora com seu carro, foi solicitado ao autuado que providenciasse um motorista devidamente habilitado, que assumiria a condução do veículo. Foi quando, chamado pelo homem impossibilitado de dirigir, apresentou-se Klebson Natan Silva de Siqueira, de 28 anos, motorista que assumiria a direção do veículo. Como de praxe, os agentes da PRF também realizaram a consulta das informações do novo motorista e foi quando acabaram descobrindo que havia contra este último um mandado de prisão em aberto pelo crime de homicídio qualificado, cometido no Município de Pesqueira/PE.
O juiz do caso havia decretado a prisão de Klebson em 26 de julho de 2011, de modo que este era considerado foragido desde então. Ele foi preso e conduzido para o DP de Arujá/SP, para as providências da polícia judiciária.

POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL

NÚCLEO DE COMUNICAÇÃO – SP

Compartilhar:

Você pode Gostar de:

20 pessoas são presas e quatro são mortas em operação policial contra tráfico de drogas na Bahia e Sergipe

Por Jéssica / 09/11/2018 Pelo menos 20 pessoas haviam sido presas e quatro haviam sido mortas em confronto …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display