Casal suspeito de aplicar golpes de R$ 40 milhões em SP é preso em Goiânia

Segundo delegado, empresária e marido fizeram cerca de 100 vítimas em um esquema de ‘pirâmide financeira’, nos últimos dois anos.

Por Rodrigo Gonçalves, G1 GO

16/09/2019

Casal foi preso em aparatamento de Goiânia — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Casal foi preso em aparatamento de Goiânia — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Uma empresária e o marido suspeitos de aplicar golpes de R$ 40 milhões em um esquema de pirâmide financeira em Jacareí (SP) foram presos em Goiânia nesta segunda-feira (16), segundo a Polícia Civil. O casal era considerado foragido da Justiça desde julho deste ano.

A prisão de Tatiane Soares Ramos e Rafael Cunha Ramos aconteceu na capital goiana em uma operação da Gerência de Operações e Inteligência (GOI) da Polícia Civil de Goiás junto com a Delegacia de Capturas (Decap).

G1 não conseguiu com a polícia saber se eles já são representados por algum advogado.

De acordo com a Polícia Civil, o casal foi encontrado em um apartamento, no Setor Cândida de Morais, e não reagiu à prisão. A corporação informou ainda que, por se tratar de uma operação de inteligência, não é possível revelar de que forma chegou até o casal.

Inicialmente, segundo a polícia, não há registro de crimes deles em Goiânia.

De acordo com delegado do 1º Distrito Policial de Jacareí, Pedro de Fátima Silva, o comunicado da prisão aconteceu na tarde desta segunda.

“Tínhamos indícios de que eles poderiam estar em Goiânia. E hoje fomos comunicados pelo GOI que foram cumpridos os mandados de prisão preventiva. Ainda serão cumpridos os procedimentos pela polícia de Goiás e depois vamos ver a transferência”, informou o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, cerca de 100 pessoas procuraram a delegacia para comunicar terem sido vítimas de um golpe cometido pela empresária, que gera em torno de R$ 40 milhões. De acordo com as vítimas, eles compraram pacotes de investimento em uma empresa do setor têxtil, com sede em São Paulo e gerenciada pela empresária.

“Era um esquema de pirâmide, que oferecia o retorno de juros altíssimos fora do que é ofertado no mercado”, informou o delegado, ressaltando que a oferta de ganhos chegava a 80% sobre o valor investido em menos de um mês.

Vítimas estavam em grupo onde suposta golpista divulgava cotas de investimentos — Foto: Reprodução

Vítimas estavam em grupo onde suposta golpista divulgava cotas de investimentos — Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *